gererdo-2Bno-2Bpodio2014

Gerardo resiste á pressão de Sampaio e conquista título brasileiro da GP 600

Uruguaio da MGBikes Yamaha Racing vence GP Petrobras e comemora em Cascavel seu terceiro título de 2014 na motovelocidade

Maximiliano Gerardo viveu em 2014 a temporada mais produtiva de sua carreira como piloto de corridas. Já tendo conquistado os títulos argentino e uruguaio da categoria Supersport e feito testes na Europa visando a sequência de sua carreira, o uruguaio da MGBikes Yamaha Racing venceu neste domingo (14) a oitava e última etapa da categoria GP 600 no Moto 1000 GP e obteve o título do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.
A vitória no GP Petrobras, que definiu o título, foi a quarta de Gerardo nas seis etapas que disputou do Moto 1000 GP. Ele também havia conquistado o primeiro lugar nas três primeiras corridas, em Santa Cruz do Sul (RS), São Paulo (SP) e Brasília (DF). Também foi segundo colocado na quinta etapa, em Goiânia (GO), e abandonou a quarta, disputada também na pista cascavelense onde tornou-se campeão brasileiro neste domingo.

O pódio da etapa cascavelense contou, além de Gerardo e Sampaio, com o paulista Matheus Oliveira, terceiro com a Kawasaki da Procomps Racing Team, o argentino Sebastian Martinez e o paulista André Veríssimo, ambos pilotos da MGBikes Yamaha Racing, que fecharam o GP Petrobras em quarto e quinto. Além das quatro conquistas de Gerardo, a temporada contabilizou três vitórias do argentino Juan Solorza e uma de Silva.

“Foi uma corrida difícil, essa. O Sampaio apertou o ritmo no fim, tivemos que lidar com o tráfego dos retardatários, quase me compliquei”, descreveu o campeão Gerardo. “Ganhei três campeonatos neste ano, o que foi formidável, o Moto 1000 GP foi o mais difícil dos três”, atribuiu. Os planos do uruguaio para 2015 ainda estão indefinidos. “A ideia é conciliar o primeiro ano na Europa e a sequência do trabalho aqui no Moto 1000 GP”, adiantou.

Sampaio definiu o duelo com Gerardo como “divertido”. “Fiz uma largada boa, enfim, conseguir manter um bom ritmo durante a prova toda. Acompanhei o Maxi, tentei pegar o vácuo da moto dele na última volta, mas não deu. Para mim foi tudo muito bom, foi meu primeiro ano na categoria, isso me deixa muito animado para o ano que vem”, declarou o gaúcho, que depois de dois anos no Moto 1000 GP prepara-se para seguir carreira na Europa.

Gerardo recebeu a bandeirada final apenas 87 milésimos de segundo à frente de Sampaio. O pódio contou ainda com Oliveira, Martinez e Veríssimo. O argentino Nicolas Crexell, estreando na competição, foi desclassificado pela direção de prova por não cumprir o drive-thru que recebeu como punição por queima de largada.

MOTO 1000 GP – GP PETROBRAS – CATEGORIA GP 600
(Classificação final em Cascavel após 20 voltas)
1º) Maximiliano Gerardo (URU/Yamaha), MGBikes Yamaha Racing, 22min25s117
2º) Pedro Sampaio (RS/Kawasaki), Fábio Loko, a 0s087
3º) Matheus Oliveira (SP/Kawasaki), Procomps Racing Team, a 0s465
4º) Sebastian Martinez (ARG/Yamaha), MGBikes Yamaha Racing, a 3s582
5º) André Veríssimo (SP/Yamaha), MGBikes Yamaha Racing, a 9s908
6º) Joelsu “Mitiko” da Silva (PR/Kawasaki), Paulinho Superbikes, a 11s250
7º) Renato Andreghetto (SP/Kawasaki), PRT, a 19s556
8º) Lucas Bittencourt (PR/Kawasaki), Motul/DK Industries Motorsport, a 37s605
9º) Márcio Bortolini (PR/Honda), City Service BSB Racing Team, a 1min04s700
10º) Alex Pires (RJ/Honda), Center Moto Racing Team, a 1min04s912
11º) Marcelo Dias (BA/Honda), Aclat Racing, a 1 volta
12º) Antônio Télvio (RJ/Kawasaki), Team De Grandi, a 1 volta
13º) Márcio Fortunato (SP/Kawasaki), Sport Plus Racing, a 1 volta
14º) Breno Pinto (AM/Honda), PRT, a 1 volta
15º) Luiz Ferraz (SP/Kawasaki), Procomps Racing Team, a 1 volta
16º) Walteny Amaral (RJ/Kawasaki), Team De Grandi, a 2 voltas

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *