scout-silver-static1-1

Indian planeja chegar ao Brasil em 2015 para briga com a Harley

Indian Scout

Empresa ainda precisa definir como será a montagem em Manaus. Scout, de 100 cavalos, será a principal moto, com 60% das vendas.

Publicado no Portal G1.com em 26/11/2014
Desde 2013, a centenária fabricante de motos Indian não esconde que pretende vender suas motos no Brasil, o que deve se tornar realidade no próximo ano. Nesta quarta-feira (26), durante apresentação do grupo Polaris, dono da marca, em São Paulo, a empresa revelou que o anúncio oficial da operação brasileira está perto de acontecer.
“Os planos da Indian para o Brasil estão a todo vapor, queremos estar aqui até o final de 2015”, afirmou Rodrigo Lourenço, diretor geral da Polaris na América Latina. “Mas as dificuldades se tornaram maiores para fazermos o anúncio oficial. Para se tornar viável, teremos de produzir em Manaus”, acrescentou Lourenço. “Nos próximos 60 dias devemos anunciar algo”, disse.

A empresa ainda estuda se terá a própria fábrica no Brasil ou se fará alguma parceria para terceirizar a montagem, como fazem BMW, Ducati, MV Agusta e KTM com a Dafra. Criada em 1901, nos Estados Unidos, a Indian tenta retornar aos tempos de glória do passado, quando foi mais famosa e importante que a rival Harley-Davidson.

Desde 2011, quando foi adquirida pelo grupo Polaris, a Indian vem renovando sua linha. Primeiro mostrou, em 2013, uma linha Chief, composta por Classic, Vintage e Chieftain, remetendo aos modelos mais clássicos da empresa, porém, com projetos 100% novos. Em 2014, o grande lançamento foi a nova Scout, que traz uma dose de modernidade para a marca.

Inclusive, a Scout deve ser o modelo mais vendido da marca no Brasil. “Nossa expectativa é de 60% das vendas para a Scout e 40% para a linha Chief”, revelou Lourenço. Ainda sem data exata de início das vendas, a Indian pretende mostrar suas motos na edição 2015 do Salão Duas Rodas de São Paulo.

“A expectativa da empresa é que o Brasil seja o maior mercado internacional da Indian. Queremos brigar de frente com a Harley-Davidson”, enfatizou o executivo, ainda sem revelar o volume esperado de vendas no país.

Apesar de seguir o padrão de uma custom, a Scout rejuvenesceu a linha da fabricante norte-americana, mostrando uma dose de modernidade é até esportividade. Como base, a Scout utiliza motor V2 de 1.133 cc, que é capaz de gerar 100 cavalos de potência e trabalha em conjunto com câmbio de 6 marchas. Vendida a partir de US$ 10.999 nos Estados Unidos, o modelo possui freios ABS de série.

Este nome já foi utilizado no passado pela Indian. Entre os momentos de sucesso da Scout, está a façanha obtida por Burt Munro, um neozelandês, em 1967.
Então com 68 anos, o piloto utilizou uma versão da moto de 1920 para bater um recorde de velocidade no deserto de Bonneville, nos Estados Unidos. Em 2005, a história foi retratada no filme “Desafiando os Limites” (The World’s Fastest Indian), protagonizado por Anthony Hopkins.

Com assento do tipo monoposto, a moto apresenta um conjunto que remete ao passado e ao mesmo tempo mistura com linhas mais contemporâneas.

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *