renato-andregheto

Moto 1000 GP: Pilotos da categoria GP Light preveem etapa acirrada em Cascavel-PR

Renato Andreguetto 

Andreghetto e Paiato destacam-se na classificação, mas alertam para competitividade da série de acesso à GP 1000.

Fonte: Grelak Comunicação.

A próxima corrida do Moto 1000 GP, marcada para o dia 25 de agosto no Autódromo Zilmar Beux de Cascavel (PR), colocará à prova, os pilotos da GP Light, considerada a categoria de acesso para a GP 1000, a principal do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. A etapa no interior paranaense, quarta de 2013, sela a metade do calendário, previsto para oito corridas. Assim, pilotos que lideram a temporada e também aqueles que buscam recuperar a desvantagem na tabela veem na corrida em Cascavel uma chance de manter a regularidade.
Entre os três primeiros colocados na categoria GP Light a confiança segue na garupa para a prova cascavelense. A meta é subir ao pódio para não desperdiçar a chance de pontuar. Renato Andreghetto, piloto paulista da Petronas SBK Eurobike, está no topo da tabela com 76 pontos, seguido de André Paiato, da Alex Barros Racing, com 61, e Davi Lara Costa, JC Racing Team, o terceiro colocado, com 34 pontos.

Andreghetto teve um início de temporada bastante produtivo. Venceu as duas corridas disputadas em Interlagos, válidas pela primeira e pela terceira etapa, e foi segundo colocado na segunda etapa, em Curitiba, onde Paiato comemorou sua primeira vitória. O piloto da Petronas SBK Eurobike marcou as três pole-positions e as três voltas mais rápidas em corridas, conquistas que o regulamento desportivo do Moto 1000 GP premia com pontos de bonificação. A vantagem de 15 pontos sobre o adversário mais próximo, contudo, não garante margem para erros.

O vice-líder Paiato chega a Cascavel confiante num bom resultado, por conhecer o traçado e apostar no seu potencial numa pista rápida. “Estou animado, porque no ano passado foi a pista onde tive meu melhor resultado”, lembrou ele, terceiro colocado na corrida em 2012.

Quem não desanima, apesar de estar 42 pontos atrás do líder, é Davi Costa. O piloto paulista nem pensa em desistir do título. “O Andreghetto se desgarrou um pouco, mas não vou desistir, não. Ainda tem mais quatro corridas depois da de Cascavel e o campeonato segue indefinido até o fim. Na GP Light todos os pilotos têm condições de reverter um cenário que não parece favorável, e comigo, não é diferente”, sentencia Costa. “As corridas são bem disputadas e minha meta é estar sempre no pódio”, finaliza ele.

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *