ribondino

Argentino vence principal prova em Curitiba

Luciano Ribodino impôs-se na GP 1000. Outras corridas tiveram disputas intensas e chegadas espetaculares.
Fonte: Grelak Comunicação
Depois de suportar a pressão de Danilo Lewis (PRT/RC3 Brasil) nas primeiras voltas, o argentino Luciano Ribodino (Alex Barros Racing) confirmou a condição de atual campeão da principal categoria do Moto 1000 GP e venceu a etapa de Curitiba, válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Ele imprimiu um ritmo forte para abrir uma vantagem e administrar o primeiro lugar e a vitória na GP 1000. Wesley Gutierrez (Motonil Motors Alemão Pneus) e Danilo completaram o pódio em segundo e terceiro lugares, respectivamente. “O fato é que foi bem difícil”, disse o argentino Ribodino na coletiva de imprensa, que achou a prova cansativa. “Tive muito trabalho. Tentei manter o ritmo na frente, eles estavam bem, muito rápidos”, referindo-se aos companheiros de pódio antes de agradecer a equipe e patrocinadores.

Para Gutierrez o segundo lugar foi bom, mais ele ainda queria mais. ”Não desisti de tentar chegar no Ribodino, apertei o ritmo, mas não deu. Mas o segundo lugar está bom, em termos de campeonato”, avaliou. Campeonato também foi o tema do terceiro colocado apesar de só ter tido duas etapas. “A equipe tem potencial”, considerou. “Ela mostrou isso no acerto da moto para esta pista. O campeonato é longo, e está em aberto”, finalizou Lewis. Ribodino tem 46 pontos contra 21 dos dois principais concorrentes.

Fora da zona de pódios houve a maior disputa da corrida. Retornando às pistas depois de se recuperar de uma queda em treinos na pré-temporada – razão pela qual não correu na etapa inicial, em Interlagos – Lucas Barros (Alex Barros Racing) protagonizou com Diego Faustino (Petronas Eurobike SBK Team) a mais interessante disputa da prova. Os dois trocavam várias vezes de posição numa mesma volta na briga pelo quarto lugar. O português Miguel Praia (Center Moto Racing Team) juntou-se à disputa nas voltas finais, mas Faustino levou a melhor e ficou com a quarta colocação.

André Paiato (Alex Barros Racing) e Renato Andreghetto (PRT) trocaram as posições em relação à etapa de Interlagos. Em São Paulo, ganhou Andreghetto; Paiato foi segundo. Em Curitiba, Paiato venceu; Andreghetto, segundo. Os dois primeiros se destacaram dos demais e praticamente fizeram uma corrida à parte. Gustavo Herrera (Motrix Scigliano Racing) chegou em terceiro. “A equipe me fez acreditar. Eu cresci durante a corrida, acho que podemos melhorar ainda mais“, declarou Paiato.

Rafael Bertagnolli (BSB Motor Racing) levou a melhor. O vice-campeão do ano passado venceu com tranquilidade, seguido de Ademilson Peixer (Moto 3 Racing Team). O atual campeão André Veríssimo (Motrix Scigliano Racing) chegou em terceiro e lidera o campeonato com 37 pontos após duas corridas. “Não terminei em São Paulo, mudei de moto, de equipe, comecei tudo de novo, e deu certo. Estou emocionado”, confessou. Um incrível acidente com um choque das motos de Cadu Colocci (SBK Rio) e Gilvan Zeferino (Corujão Racing) no fim da reta dos boxes chamou atenção. As motos se chocaram em alta velocidade e produziram uma sequência de quedas. Os dois pilotos passam bem.

Muitas disputas e uma chegada espetacular deram um colorido especial à categoria GPR 250. Sabrina Paiuta (Mobil Rush Racing) atacou na última volta e cruzou a linha de chegada emparelhada com Meikon Kawakami (Alex Barros Racing), para vencer por quatro milésimos de segundo de diferença. “Eu estava feliz com o terceiro lugar, mas os dois da frente pegaram retardatários, então aproveitei”, relatou. “Eu estava vindo bem agressiva, voltei com mais confiança ainda depois da queda em São Paulo na primeira etapa”, relatou a piloto.

A categoria para pilotos acima de 48 anos que corre junto com a GP Light teve Alberto Braga (Center Moto Racing Team) como vencedor. Victor Braga (SBK Brasil) chegou em segundo lugar, com Sidnei Scigliano (Motrix Scigliano Racing). “Sempre me esforço muito para ganhar”, afirmou à imprensa.
confira o resultado final das cinco categorias do Moto 1000 GP (até o 3º lugar):


GP 1000
1º) Luciano Ribodino (ARG/Alex Barros Racing), BMW, a 24min30s913
2º) Wesley Bertoni Gutierrez (PR/Motonil Motors-Alemão Pneus), Kawasaki, a 8s060
3º) Danilo Lewis (SP/PRT RC3 Brasil), KAwasaki, a 9s911

GP Light
1º) André Paiato (SP/Alex Barros Racing), BMW, 22 voltas em 20mins57s696
2º) Renato Andreghetto (SP/PiticoRace), Kawasaki, a 0s398
3º) Gustavo Herrera (PR/MotrixScigliano Racing), Kawasaki, a 37s380

GP 600
1º) Rafael Bertagnolli (RS/SBK Brasil), Honda, 20min18s006
2º) Ademilson Peixer (PR/Moto 3 Racing Team), Kawasaki, a 12s510
3º) André Veríssimo (SP/Motrix Scigliano Racing), Kawasaki, a 23s337

GPR 250
1º) Sabrina Paiuta (SP/Mobil Rush Team), Kawasaki, 17min27s143
2º) Meikon Kawakami (SP/Alex Barros Racing), Honda, a 0s004
3º) Igor Calura (SP/Mototech), Honda, a 0s131

GP Master
1º) Alberto Braga (RJ/Center Moto Racing Team), Kawasaki, 22mins17s376
2º) Victor Braga (RJ/SBK Rio), Kawasaki, a 0s599
3º) Sidnei Scigliano (SP/MotrixScigliano Racing), Kawasaki, a 5s177

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *